Auxílio emergencial para MEI: como usar bem esse dinheiro

Equipe SOMEI

Preparamos esse artigo com algumas sugestões para você aproveitar o seu auxílio emergencial e colher bons frutos com isso. Esse auxílio visa, assim como as demais medidas adotadas pelo governo brasileiro, amenizar o impacto financeiro e econômico que a pandemia do coronavírus ocasionou no Brasil.

Você, na condição de MEI, possui direito de sacar o auxílio emergencial, assim como várias outras categorias de cidadãos, divulgados pelo governo.

O valor de R$ 600,00 (seiscentos reais), ou R$ 1.200,00 (hum mil e duzentos reais), para mães de família, será disponibilizado obedecendo uma série de regras e condições, que vamos descrever na sequência.

Além de ter consciência dessas regras, você deve ter um pequeno planejamento de como utilizar esse ganho esporádico, de forma que ele venha ajudar sua vida pessoal e profissional.

Mas, quais são os requisitos para que eu possa solicitar o auxílio emergencial?

Conforme o site da Caixa Ecômica Federal, auxilio.caixa.gov.br, para ter acesso ao benefício emergencial, o cidadão deve cumprir, ao mesmo tempo, os seguintes requisitos:

  • Ser maior de idade (maior que 18 anos);
  • Não ter emprego formal (ser trabalhador autônomo com renda informai);
  • Não ser beneficiário (não receber benefícios governamentais, com exceção do Bolsa Família);
  • Possuir renda familiar mensal por pessoa de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.135,00);
  • Não ter recebido rendimentos tributáveis, no ano de 2018, acima de R$ 28.559,70;
  • Estar desempregado ou exercer atividade na condição de microempreendedor individual (MEI) ou ser contribuinte individual ou facultativo do Regime Geral de Previdência Social (RGPS) ou ser trabalhador informal inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico).

E como faço para solicitar o auxílio?

Segundo as orientações expostas no site do auxílio emergencial, quem estava no Cadastro Único até o dia 20/03, e que atenda as regras do Programa, receberá o auxílio sem precisar se cadastrar no site da CAIXA.

As pessoas que não estavam no Cadastro Único até 20/03, mas que têm direito ao auxílio podem se cadastrar no site auxilio.caixa.gov.br ou pelo APP CAIXA|Auxílio Emergencial.

Depois de efetuar o cadastro, o cidadão pode acompanhar se vai receber o auxílio emergencial, consultando no próprio site ou APP.

Depois de ter a aprovação do seu auxílio e a transferência do valor para sua conta, vem a parte mais importante: o que fazer com esse dinheiro?

1 – Utilize para compras essenciais.

Se você está ficando sem dinheiro, ou não tem mais dinheiro, esqueça, por um tempo, os credores. 

Utilize o auxílio emergencial, com prudência e inteligência, para efetuar as compras de supermercado.

Alimentos e itens de higiene e saúde definitivamente não podem faltar no seu lar.

O verdadeiro Microempreendedor sabe de suas responsabilidades e, pode sim, gastar o seu dinheiro com itens menos essenciais, quando estiver com a consciência tranquila e as contas em dia.

2 – Utilize para pagar credores.

Se você possui condições financeiras para arcar com suas necessidades básicas, e não precisa investir seu auxílio emergencial em alimentos ou produtos de saúde e higiene, organize-se para pagar seus credores.

O mesmo ocorre para os MEIs que conseguem utilizar o auxílio para necessidades básicas e, ainda, fazer sobrar algum valor.

Ordene seus principais e essenciais fornecedores, e foque em pagar alguma quantia do valor devido a eles. 

Se preciso for, renegocie dívidas. Ligue para seus fornecedores e solicite aumento no número de parcelas, de forma que as mesmas tenham seu valor reduzido.

Ou ainda, negocie pagamentos avulsos, de valores menores, de forma que você consiga pagar um pouco de valor para cada fornecedor.

Essa é a chave. Pagar um pouco para todos, ou para os principais.

3 – Invista em mídias digitais ou cursos em sua área.

Caso você, MEI, tenha suas finanças organizadas, para suas compras pessoais do dia-a-dia e para dar a manutenção do seu negócio, o próximo conselho é investir seu auxílio emergencial, parcial ou integralmente, em serviços de mídia digital ou em cursos de seu ramo.

É evidente que as compras de serviços e mercadorias pela internet terão sua procura elevada, tendo em vista o distanciamento social.

Dessa forma, você deve, sim, mais do que nunca, expor seu negócio nas vitrines virtuais.

Outra dica é investir em cursos virtuais, relativos ao seu negócio. Há muita oferta de cursos com propostas inovadoras de produtos e serviços, que você pode se quer conhecer e estar perdendo a oportunidade de aplicar em sua empresa.

Esses cursos também têm se apresentado com preços razoáveis, e acredite, há muita gente boa ofertando conhecimento sobre o seu ramo, e muitas vezes você não tem tempo nem dinheiro para se especializar. Aproveite essa renda extra emergencial e invista em você!

Muitas vezes, achamos que já temos conhecimento suficiente das melhores formas de elaborar o nosso produto, e não nos damos conta de que o mundo está mudando, e, com ele, muitos processos também.

Investindo em cursos, podemos encontrar técnicas inovadoras, acessíveis, competitivas e ágeis! Que tal buscar melhorias ao seu produto?

Minutos de estudo e concentração podem trazer diferenças que equivalem a horas, dias ou anos de trabalho!

4 – Faça uma reserva de emergência.

Se você não se encaixa em nenhuma das situações acima, então, bota esse dinheiro no bolso!

Ou melhor, em alguma conta que garanta algum rendimento, de forma que seu dinheiro não perca o poder de compra, com o passar do tempo.

Não sabemos a dimensão da recessão econômica que pode se formar nos próximos meses.

Assim, poupar é a ordem, para você que pode! Claro que, se desejar algum bem ou serviço, poderá adquiri-lo, ajudando, inclusive, a economia girar.

Porém, o consumo nesses próximos meses será voltado para o essencial. Não ser um pouco prudente, pode lhe custar caro ali na frente.

Poupança e aplicações financeiras são bem-vindas. Procure aquelas com liquidez imediata, para que você possa sacar a qualquer momento, sem penalidades.

Aplicações a longo prazo, sem direito de resgate imediato, não são uma boa pedida para o momento.

Você precisará resgatar sua reserva emergencial a qualquer momento, e ter descontos pelo saque antecipado da aplicação é furada. Por isso, prefira aplicações com resgates instantâneos.

Esperamos que essas dicas possam ajudar você a tirar o máximo proveito do seu auxílio emergencial. Vamos nos manter firmes e vencer essa fase difícil!

+ Artigos

Empréstimo para MEI? Saiba como conseguir

Desde que as medidas protetivas contra o Covid-19 iniciaram, uma forte crise econômica afeta as microempresas. Em muitos casos, as…

Ler artigo

Conheça o Crediamigo: uma boa opção de empréstimo para o MEI

Você já ouviu falar do Crediamigo?Maior programa de microcrédito produtivo orientado do Brasil, o Crediamigo oferece empréstimos para quem trabalha…

Ler artigo

Gestão financeira para MEI: 5 Erros que podem ser fatais

Você sabe tudo sobre a importância da gestão financeira para o MEI?Se você respondeu “Não” ou ficou em dúvida com…

Ler artigo
Arrow-up
pt_BR
pt_BR